Relaxar é mais do que a sensação de paz ou a fruição de um hobby, explica a Mayo Clinic. É o processo que reduz os efeitos do stress no corpo e na mente, diminuindo a tensão muscular e a pressão arterial e permitindo que a mente acalme. Pode parecer simples, mas há cada vez mais pessoas que não conseguem sentir-se relaxadas, nem mesmo por breves momentos. Num mundo marcado pela comunicação omnipresente e pelo multitasking, o stress e as doenças a ele associadas são mais frequentes. Não é por acaso que, este ano, o tema do Dia Mundial da Saúde Mental (10 de outubro) é a saúde mental no local de trabalho.

Por que é importante relaxar?

“Um corpo crescente de evidência científica mostra que vários problemas de saúde mental relacionados com o local de trabalho (…) têm um ónus sobre as pessoas, conduzem a custos sociais e dificultam a produtividade.” Quem o afirma é a Federação Mundial de Saúde Mental, que criou a efeméride. O foco é a promoção de boas práticas nas empresas, mas também a adoção de hábitos individuais que minimizem o impacto do stress na saúde.

“Para evitar os efeitos negativos do stress crónico e do burnout, precisamos de tempo para repor energias e regressar ao nível de funcionamento anterior ao stress. Este processo de recuperação requer ‘desligar’ do trabalho através de períodos em que não se realiza atividades relacionadas nem se pensa em trabalho. Por isso é crítico desligar, de forma adequada às necessidades e preferências de cada um”, sublinha a Associação Americana de Psicologia (APA).

Os efeitos de (não) relaxar

Ter tempo para recarregar energias e demarcar fronteiras entre vida pessoal e profissional ajuda a combater o stress, aponta a APA. Não o fazer pode traduzir-se em dores de cabeça ou de estômago, perturbações do sono e dificuldades de concentração. A prazo, níveis elevados de stress podem manifestar-se através de insónias, ansiedade, aumento da tensão arterial, enfraquecimento do sistema imunitário, depressão, obesidade ou doenças cardíacas. Pelo contrário, o relaxamento promove a memória, a criatividade e os níveis de concentração e da produtividade. Favorece também a qualidade do sono e afeta o humor positivamente.

Treino é preciso

Praticar exercício físico, ir a um concerto, fazer um jogo, ler um romance. O gosto pessoal é o critério mais importante ao escolher uma forma de relaxar, mas não é um critério absoluto. Por exemplo, embora possa ser tentador recorrer ao álcool ou à fast-food em situações de stress, estas respostas são contraproducentes. As formas mais eficazes de relaxar, sublinha a APA, passam por desenvolver hábitos saudáveis. Por exemplo, evitar atividades estimulantes, como usar o computador ou o smartphone, antes de dormir. Para que uma atividade permita relaxar, deve evitar distrair-se com outros assuntos. “A capacidade de se focar intencionalmente numa única atividade sem distrações ficará mais forte com a prática e perceberá que pode aplicá-la a muitos aspetos da vida”, garante a APA.

De norte a sul

Para o incentivar a cuidar melhor de si, deixamos-lhe uma lista de atividades que podem ajudá-lo a relaxar.

Semana da Reflorestação Nacional
15 a 30 de novembro
Em todo o país

Escolas, câmaras municipais e juntas de freguesia estão convocadas. Pretende-se que promovam ações de limpeza da floresta e divulgação da flora e fauna autóctone da região, entre outras. Uma excelente oportunidade para relaxar em contacto com a natureza, enquanto contribui para um país mais verde. Informe-se junto do movimento Plantar Portugal e participe.

Mercados biológicos
Sábados | 9h – 14h
Várias cidades

A Agrobio – Associação Portuguesa de Agricultura Biológica incentiva a produção e o consumo de produtos locais e da época. Todas as semanas organiza mercados biológicos em diferentes pontos da capital e não só. O mais recente é no Parque das Nações. Também há em Algés, Almada, Amadora, Cascais, Oeiras, Loures, Setúbal e Portimão. Faça da ida ao mercado um momento de relaxamento e aproveite para começar a alimentar-se melhor.

Bicicletada
Última 6ª feira de cada mês | 18h
Porto, Oeiras, Lisboa, Loulé

É um passeio de bicicleta mensal para celebrar o uso da bicicleta. Só precisa de levar a bicicleta. A atividade é gratuita e aberta a todos os que queiram dar um passeio para descontrair. O percurso é normalmente definido pelos participantes e dura entre uma hora e meia e duas horas. Em Lisboa, o ponto de encontro é no Parque Eduardo VII, no Porto na Praça dos Leões.