Foi em 1989, num mundo em que uma nova ordem mundial se anunciava, que os líderes internacionais se reuniram para assumirem um compromisso perante as crianças de todo o mundo: o de protegerem e fazerem cumprir os seus direitos. Assim nasceu a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança, que pela primeira vez contempla a ideia de infância como um período (até aos 18 anos) especial e merecedor de proteção, de forma a promover o crescimento, a aprendizagem, a brincadeira e o desenvolvimento com toda a dignidade. 

Mais de 30 anos depois, sabe-se hoje cada vez mais sobre a importância de brincar, não só para o desenvolvimento infantil, como ao longo de toda a vida. Que o diga Stuart Brown, o psiquiatra e investigador norte-americano que fundou o The National Institute for Play. Depois de, na sua prática clínica, tomar contacto com um grupo de jovens homicidas cujas vidas foram privadas de brincadeira, tomou a missão de reunir o conhecimento científico disperso sobre brincar e assim nasceu a organização sem fins lucrativos que lidera. Brincar é, afinal, algo que devemos levar a sério. 

Adultos que brincam

No meio da agitação do dia a dia, encontrar tempo para brincar pode parecer desafiante, mas a verdade é que é uma atividade que se encaixa em qualquer contexto, dos momentos em família ao local de trabalho. Como lembra o HelpGuide, brincar é toda a atividade cujo intuito é, simplesmente, criar diversão, ser sociável ou gerar um bom ambiente, de uma forma não estruturada, o que inclui desde fazer palhaçadas com amigos a partilhar piadas com os colegas de trabalho.

Seja a andar de bicicleta, passear o cão ou disfarçar-se no Carnaval, brincar coloca-nos em contacto com o lado mais alegre da vida, ajuda a aliviar o peso dos compromissos e fomenta a criatividade, o bem-estar emocional e até a aprendizagem e a capacidade de resolução de problemas. Ao darmo-nos permissão para brincar e nos abandonarmos no momento, como na infância, há todo um conjunto de benefícios que podemos colher.

Efeitos nos relacionamentos

Fazer um esforço consciente para incorporar a brincadeira e o sentido de humor nas interações diárias pode melhorar a qualidade dos relacionamentos – desde os amorosos, aos relacionamentos com colegas, amigos, familiares.

  • Promove o desenvolvimento de competências sociais

Durante a infância aprendemos a comunicar verbalmente, através da linguagem corporal, a estabelecer fronteiras, a cooperar, a trabalhar em equipa. Enquanto adultos, todas estas competências podem ser apuradas através da brincadeira.

  • Ensina a cooperar com os outros

Ao brincar aprendemos a trabalhar juntos com base num conjunto de regras partilhadas e a socializar em grupos. Enquanto adultos, esta continua a ser uma forma de baixar defesas e de nos aproximarmos de quem nos rodeia.

  • Ajuda a sarar feridas emocionais

Se uma pessoa emocionalmente insegura joga com uma mais segura, por exemplo, tem oportunidade de substituir crenças e comportamentos negativos por ideias e ações mais positivas. Desta forma, brincar ajuda a cuidar das nossas emoções.

  • Promove o rejuvenescimento

Quando nos rimos, sentimo-nos bem e esse sentimento permanece, favorecendo uma mentalidade mais positiva e otimista, apesar das situações difíceis e das contrariedades que fazem parte da vida.

Efeitos no trabalho e na aprendizagem

Brincar não tem de ser uma atividade específica, pode ser uma forma de estar. Desenvolver uma natureza brincalhona ajuda a aliviar situações de stress, a quebrar o gelo e a fomentar relacionamentos mais satisfatórios.

  • Alivia o stress

Tal como praticar atividade física, brincar estimula a libertação de endorfinas, substâncias químicas naturais que nos ajudam a sentir bem e que aliviam a dor e os efeitos do stress no dia a dia.

  • Promove a função cerebral

Atividades lúdicas como fazer puzzles, jogar cartas ou jogos de tabuleiro estimulam a atividade cerebral e podem ajudar a prevenir problemas de memória e a proteger contra a depressão.

  • Estimula a mente e a criatividade

Quando brincamos, envolvemos o lado mais criativo do cérebro, enquanto silenciamos a barreira psicológica que censura pensamentos e ideias. Muitas vezes, isso ajuda a encarar os problemas de outra perspetiva e a encontrar soluções criativas.

  • Promove a produtividade

A relação entre produtividade e um ambiente de trabalho divertido é, hoje, reconhecida em muitas empresas cujos líderes perceberam que, ao promoverem um ambiente leve, estimulam a produtividade e a satisfação no trabalho e ajudam a reduzir o absentismo.

 

Tome nota

Brincar é uma atividade tão importante para o desenvolvimento infantil que foi reconhecida pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos como um direito de todas as crianças.

 

URO_2020_0001_PT, JAN20